domingo, 30 de março de 2014

Leiam o que publicou esse economista

   Gente! É muito dinheiro! Foge-nos a noção do quanto. Uma refinaria avaliada em 45 milhões de dólares, comprada por um bilhão e duzentos milhões de dólares. Outra em construção, com um custo projetado de 2 bilhões de reais, já passa dos 20 bilhões. Um polo petroquímico orçado em 19 bilhões de reais, tem seus gastos ultrapassados de 31 bilhões. São notícias de obras superfaturadas, de desvio de verbas, de pagamento de comissões, propinas, etc., vindo de tudo quanto é lado. Só podemos concluir que tem gente levando muito dinheiro em tudo isso.
         Chovem as denúncias e os órgãos fiscalizadores estão sendo acionados: Ministério Público, Tribunais de Contas, Procuradorias, etc. E eu fico a me perguntar se teremos as devidas explicações. Será que mais uma vez a atual presidente, envolvida na questão da compra da refinaria americana, será blindada como foi o seu antecessor no caso do “mensalão”? Será que a sociedade brasileira não saberá o desfecho das investigações e os relatórios serão engavetados?
         Quem ousaria sugerir uma auditoria nos financiamentos do BNDES? Os empréstimos feitos ao grupo da “Friboi”? Das empresas do Eike Batista e tantas outras? É uma verdadeira caixa preta, ao abrigo do chamado “sigilo bancário”. Não deveria haver sigilo nas relações governo x sociedade. Afinal, o dinheiro é do povo. Desafio a listarem e divulgarem os inadimplentes. Tente um pequeno empresário um empréstimo junto àquele Banco que é da nação? Poucos conseguem.
         É surpreendente como os governantes tratam a coisa pública. Agem como proprietários irresponsáveis e não como gestores que precisam prestar conta. A eleição de um executivo é uma verdadeira entrega de um cheque em branco para que ele faça o que quiser.
         Apuradas as possíveis irregularidades, os prejuízos causados ao erário público, serão nos dadas as devidas explicações e os responsáveis punidos? O país será ressarcido? Devemos lembrar que esses recursos vem dos impostos que são pagos pelo povo. Não teria esse povo o direito de receber os devidos esclarecimentos? E as nossas casas legislativas, como ficam nesse imbróglio? Depois vêm nos pedir votos.
         Por outro lado, cometa um equívoco de um real na sua declaração de imposto de renda? O leão vem em cima de você com toda a sua voracidade. Não estou defendendo a sonegação. Cada um deve cumprir com o seu dever. Mas quando comparamos com os desmandos que temos visto, ficamos indignados e revoltados.
         Procuro como cidadão deste país, cumprir com os meus deveres cívicos. Entendo, no entanto, que mereço uma explicação para tudo que tem sido denunciado. Tenho minhas dúvidas se terei. E ainda querem a continuidade do governo que aí esta. Meu Deus!
Paulo Salles Cavalcanti, economista

Nenhum comentário:

Postar um comentário