sábado, 21 de julho de 2018

Ciro Gomes estreia campanha na internet. Diz que é limpo e independente



CDL de Nova Russas promoverá audiência pública para debater IPTU

Enviado por um logista da CDL, Nova Russas


No site da Prefeitura de Nova Russas sobre a compra do prédio do Hospital em parceria com o Governo do Estado

A Prefeitura de Nova Russas, em parceria com o Governo do Ceará, está em fase de conclusão da compra do Hospital Municipal José Gonçalves Rosa no valor de R$ 1.300.000,00 (Um milhão e trezentos mil reais).
Grande parte desse recurso, cerca de 50%, ja foi depositado na conta da Prefeitura por parte do Estado. Com a compra do Hospital Municipal, a Prefeitura não irá mais precisar pagar o aluguel de cerca de 7 mil reais mensais, podendo investir esse recurso em outros benefícios à população.
A compra do Hospital é um sonho antigo da população de Nova Russas e mais uma grande conquista para a saúde do nosso município.

A imagem pode conter: texto

Foi creditado R$ 643.564,36 da compra do Hospital, conforme documento. Com a concretização da compra o município vai economizar mensalmente em média R$ 7.000,00 mensal somente com aluguel.




sexta-feira, 20 de julho de 2018

Tapa na cara - Contribuinte paga até pão de queijo para deputado federal

 
Deputado Afonso Motta (PDT-RS) ganha R$ 33,7 mil por mês, mas pediu reembolso de R$ 1 pago em pão de queijo

Com salários de R$33.723 e mais R$106.866 para contratar aspones, cada deputado federal ainda pode solicitar reembolso de despesas de R$45 mil mensais, em média, para promoção pessoal e para pagar até pão de queijo. E não é força de expressão: Afonso Motta (PDT-RS) apresentou nota fiscal de R$1 na compra de um pão de queijo, despesa certamente relevante no exercício da atividade parlamentar. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
O campeão de gastos neste momento, no ano, é o deputado Hélio Leite (DEM-PA): pediu ressarcimentos que totalizam R$287 mil.
Jarbas Vasconcelos (MDB-PE) comeu no restaurante do Senac e pediu ressarcimento de R$3,27, equivalentes a 0,009% do seu salário.
Jhonatan de Jesus (PRB-RR) foi o que mais gastou este ano com promoção pessoal ou “divulgação da atividade”: R$192 mil.
Afonso Motta, que não deixa passar nem pão de queijo, foi ressarcido em R$1,6 milhão desde a posse, além de R$1,55 milhão em salários.

Sem armas para trabalhar, 646 novos policiais civis do Ceará ficarão em casa recebendo salário do estado

formatura oficio 7

A ordem para que os policiais fiquem à disposição (sem atividade) foi formalizada em ofício
Formatura 2
A formatura dos novos escrivães e inspetores ocorreu há um mês e eles ainda estão sem armas
Uma grave denúncia circula nas redes sociais envolvendo novamente o setor da Segurança Pública do Estado do Ceará. Por falta de armas, cerca de 560 policiais civis (inspetores e escrivães) recém-empossados pelo governador Camilo Santana (PT) estão impedido de exercer suas atividades de rua. Ser armas para sua defesa pessoal e para enfrentar a bandidagem, os policiais foram orientados pela direção da instituição a permanecerem em casa até que as armas sejam compradas. Até lá, receberão salários sem trabalhar.
A ordem para que os novos policiais fiquem apenas “à disposição” de seus respectivos departamentos foi assinada pelo delegado-geral da Polícia Civil do Ceará, Everardo Lima, que seguiu determinação do secretário da Segurança, delegado André Costa, e este, do governador Camilo Santana.
O ofício de Everado Lima, de número 754/2018-GDGPC, foi reproduzido pelos diretores dos departamentos de Polícia do Interior/DPI (Norte e Sul), de Polícia Metropolitana (DPM) e de Polícia Especializada (DPE). A ordem é para “os novos policiais civis, recém-empossados, exercerão suas atividades, em delegacias, somente após o recebimento do devido armamento”, ressalta o documento.
Ociosos
Desse modo, 372 novos inspetores e 188 escrivães ficarão em casa recebendo salários do estado sem trabalhar. O documento não se refere aos novos 86 delegados que também foram empossados no cargo no último dia 20 de junho.
Enquanto o estado paga salários para um efetivo policial que não pode trabalhar por falta de armamento, as delegacias de Polícia da Capital e da Região Metropolitana, além dos departamentos e divisões, acumulam milhares de inquéritos policiais que apuram crimes de toda a ordem, principalmente, casos de furtos, roubos e assassinatos. Entre os dias 1º de janeiro e 19 de julho, o Ceará já registrou 2.779 homicídios, latrocínios e lesões corporais que resultaram em óbito, os chamados Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs).
Blog do Fernando Ribeiro

quinta-feira, 19 de julho de 2018

O povo se lascando de pagar imposto, passando por infindáveis dificuldades financeiras e os malandros dos vereadores aprovam aumento de subsídios

Ministério Público requer e Justiça determina suspensão de aumento de salário de prefeito, vice e vereadores de São Benedito

O juiz da Comarca de São Benedito, Fábio Rodrigues Sousa, determinou, no dia 4 de julho, a suspensão do pagamento do aumento dos subsídios do prefeito, do vice-prefeito, dos secretários, dos vereadores e presidente da Câmara do Município. A decisão concede tutela de urgência requerida pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio da Promotoria de Justiça da Comarca de São Benedito, em duas ações civis públicas ajuizadas contra o Município e a Câmara de Vereadores de São Benedito no dia 30 de maio deste ano. O magistrado fixou ainda multa no valor de R$ 5.000,00 em caso de descumprimento da decisão a ser suportada pessoalmente pelo agente pagador.
Efetivado através da sanção da Lei Municipal nº 1.042/2016 no dia 23 de setembro de 2016, o acréscimo na remuneração dos agentes políticos de São Benedito ficou da seguinte forma:
“Como se pode notar, o aumento concedido é bastante elevado, notadamente em face da crise econômica que assola o país e que atinge diretamente as finanças dos Estados e Municípios com a redução da arrecadação de tributos e diminuição da repartição de receitas pela União”, pontua o promotor de Justiça que respondia pela Comarca, Maxwell de França Barros.
Nas petições iniciais, ele argumenta que a Lei Municipal nº 1.042/2016 deveria ser declarada nula devido a irregularidades no processo legislativo que a aprovou: a aprovação e sanção ocorreu dentro do período de 180 dias anteriores ao final do mandato, período vedado pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para aumento da despesa com pessoal; e não foram precedidas de estudo de impacto financeiro e seus efeitos nos cofres públicos.
“As estimativas orçamentárias do impacto financeiro visam resguardar as finanças do ente público contra aumentos de despesas que não poderão ser suportadas nos exercícios seguintes. Sem elas, o ordenador da despesa assume uma obrigação que não sabe se o Município terá condições de pagar”, aponta o membro do MPCE.
Para o magistrado, “A prova anexada à inicial revela que a norma de efeitos concretos em análise aumentou o subsídio dos vereadores do Município de São Benedito sem a observância do devido processo legislativo, estabelecido na Lei de Responsabilidade Fiscal, configurando ato nulo de pleno direito, o que torna forçosa a intervenção do Poder Judiciário para restabelecer a legalidade e evitar prejuízos ao Erário. O perigo do dano ou risco ao resultado útil do processo resta evidenciado pelo próprio pagamento dos aumentos, especialmente levando em consideração a pouca probabilidade de restituição de tais valores após efetivado o pagamento”.
COM  MPCE

PT compara Mandela a Lula. É o mesmo que ...

Em
vídeo veiculado nesta quarta-feira, o Partido dos Trabalhadores
aproveitou uma efeméride celebrada mundialmente —os 100 anos de Nelson
Mandela— para lamentar uma tragédia partidária —os 100 dias de prisão de
Lula. Confundindo crença com credulidade, o petismo comparou o
encarceramento de Lula —por corrupção e lavagem de dinheiro— à prisão
política de Mandela, motivada por sua luta contra o regime de segregação
racial que conspurcava a África do Sul.

O novo vídeo do PT tem
motivações político-religiosas. Em privado, os petistas admitem que a
foto de Lula não deve constar das urnas de 2018, pois a condenação em
segunda instância a 12 anos e 1 mês de cadeia no caso do tríplex fez
dele um ficha-suja inelegível. Em público, porém, os companheiros se
comportam como se a dúvida não fizesse parte do credo do PT.

Alimentado-se
da certeza de que seu único líder é uma potência moral que não deve
contas senão à sua própria noção de superioridade, o PT sustenta na peça
publicitária que, assim como Mandela, Lula foi “perseguido”,
“condenado” e “preso” sem ter cometido “nenhum crime”. E reitera a
previsão dogmática segundo a qual o presidiário “vai voltar para ser
presidente.”

Há muitas diferenças entre Lula e Mandela. A
principal é que a biografia do líder sul-africano não inclui a
corrupção. Nela, não há vestígio de máculas como o mensalão e o
petrolão, os dois escândalos que tisnaram as presidências de Lula.
Mandela tampouco foi contemplado com mimos semelhantes aos que foram
providos por logomarcas como a Odebrecht.

Mandela foi à
Presidência por motivações altruístas. Lula gostaria de voltar por
razões menos nobres. A explicação está no parágrafo 4º do artigo 86 da
Constituição Federal. Anota o seguinte: “O Presidente da República, na
vigência de seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos
estranhos ao exercício de suas funções.”

Traduzindo para o
português do asfalto: eleito, Lula não poderia responder por crimes
praticados antes do início do mandato. Iriam para o freezer outras
condenações que estão por vir. Entre elas a sentença que nascerá do
processo em que Lula é acusado de receber de presente da Odebrecht o
apartamento contíguo ao seu, em São Bernardo.

Nessa ação criminal,
a defesa de Lula sustenta que o proprietário do imóvel é Glaucos da
Costamarques, um parente do seu amigão José Carlos Bumlai. Apontado
pelos procuradores da Lava Jato como “laranja”, Glaucos declarou em
depoimento a Sergio Moro que Lula ocupava o imóvel desde 2011 sem pagar
um níquel. Só começou a desembolsar o aluguel no final de 2015, depois
que Bumlai foi em cana.

A analogia esboçada no vídeo ofende a
memória do morto e a inteligência dos vivos. O barulhinho que se ouve ao
fundo é o ruído de Mandela se revirando no túmulo.



Começam amanhã convenções para escolha dos candidatos a presidente

Agência Brasil - Ainda com o cenário das coligações indefinido, os partidos políticos iniciam nesta sexta-feira (20) as convenções nacionais que vão decidir os candidatos à Presidência da República, nas eleições de outubro. Os nomes dos candidatos a presidente e a vice têm que ser aprovados nas convenções até 5 de agosto e registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até 15 de agosto.

Neste momento, há 18 pré-candidatos, mas esse número já foi superior a 20 - alguns desistiram no meio do caminho, outros foram barrados pelos partidos políticos. O total de candidatos poderá ser menor, já que alguns partidos, como o DEM, o SD e o PCdoB, estão sendo provocados a desistir da candidatura própria para apoiar chapas mais competitivas.

O quadro de indefinição, segundo o cientista político Leonardo Barreto, se deve a fatores diversos, começando pelo fato de o Palácio do Planalto não estar influenciando o processo eleitoral. "Quando o Executivo está forte, tentando a reeleição ou fazer o sucessor, a tendência é que a coligação governista seja reproduzida, a oposição se organize e até surja a terceira via. Neste ano, o governo não tem um candidato forte nem colocou peso no candidato da oposição. Isso levou à pulverização de candidaturas", argumentou.

Neste cenário com vários candidatos, avaliou Barreto, até agora nenhum nome empolgou nem se apresentou como favorito, o que cria dificuldades para os partidos se posicionarem, pois todos querem apostar em alguém com chances de vitória. Além disso, os partidos querem ter claro o papel que exercerão no futuro governo. "Todos esses fatores levam ao quadro de barata voa nas convenções", afirmou.
Articulações


Congresso Nacional (Foto: Carmen Pompeu)
Três partidos - PDT, PSC e PCB - têm reuniões marcadas para esta quinta-feira. Em Brasília, amanhã (20), os convencionais do PDT e do PSC vão decidir se confirmam as candidaturas de Ciro Gomes e Paulo Rabello de Castro, respectivamente. Ciro e Rabello ainda não têm nomes para vice. O PCB se reunirá no Rio de Janeiro, mas não terá candidato próprio na eleição presidencial de outubro.

Amanhã, será o dia de PSOL, PMN e Avante realizarem suas convenções. PMN e Avante tendem a não ter candidaturas próprias, enquanto o PSOL deve confirmar a chapa Guilherme Boulos e Sônia Guajajara. Domingo (22), o PSL se reúne no Rio de Janeiro para debater a candidatura do deputado Jair Bolsonaro, as alianças possíveis e o nome do vice.

Conforme Barreto, a partir das convenções, as articulações políticas para formação das alianças nacionais deverão se afunilar, com vantagem para os maiores partidos que têm "mais meios de troca". Ou seja, as negociações vão levar em conta o tempo de televisão que pode ser agregado nas disputas estaduais, os recursos para finaciamento das campanhas, as bancadas de deputados federais e estaduais e o total de prefeitos, que são cabos eleitorais decisivos nas eleições.
Veja quem são os pré-candidatos a presidente

quarta-feira, 18 de julho de 2018

100 anos de Nelson Mandela, o líder da luta contra o apartheid


Editorial
O melhor de todos nósResultado de imagem para nelson mandela

Não enterraremos nas nossas vidas um homem mais incrível e marcante do que Nelson Mandela. O verbo é intencionalmente no plural. Mandela não é da África do Sul, é do mundo. No século XX, ninguém como ele simbolizou o “homem bom”.
Mandela não foi um político, foi um homem de Estado. Não foi calculista, foi visionário. Não foi rancoroso, foi magnânimo. Não foi mesquinho, foi altruísta. Não foi arrogante, foi humilde.
Há dois mil anos, Cícero, ele próprio um “homem bom”, identificou as qualidades de um líder: integridade, elegância, inteligência política, coragem, moderação e generosidade. Hoje desvalorizamos alguns destes atributos. Basta pensarmos como a moderação é muitas vezes vista como uma característica dos fracos. Ou elegância, tida como superficial. Já agora, o mestre Cícero destacava ainda mais dois requisitos: saber fazer a paz com honra e acreditar que “o compromisso é fundamental para conseguir resolver as coisas”.
Graça Machel disse do marido, com quem se casou em 1998, que “há uma percepção um pouco romântica de Nelson Mandela, todo o mundo diz que ele foi o melhor”. É verdade, exageros humanos. É um mito, endeusado por todos, único a ver decretado um dia internacional com o seu nome pelas Nações Unidas.
Mas Mandela tem essa força: emociona como homem, mas também emociona como pensador político e emociona como homem de acção. E num mesmo homem isso é raro, como raro é o oxigénio fora da Terra.
Mandela é o homem dos gestos inesquecíveis. Dos gestos simbólicos que o tempo apagará da memória, como quando, já Presidente, convidou para um chá Betsie Schoombie, viúva de Hendrik Verwoerd, primeiro-ministro entre 1958 e 1966 e ideólogo do apartheid, ou de quando decidiu manter como segurança pessoal da presidência os polícias brancos que herdara de Frederik de Klerk.
Mas é acima de tudo o homem de um gesto estrutural que os livros de história vão contar por muitos séculos: dialogou com o inimigo e conseguiu com isso mudar o regime de um país. Nos anos 1980, o apartheid era o mais injusto e aparentemente insolúvel sistema político do mundo. Mandela descreveu-o como “o maior crime da era moderna a seguir ao Holocausto”. Travou a escalada de violência e evitou a guerra civil, fez a transição na África do Sul e, ao mesmo tempo, não se perpetuou no poder, mostrando a todos, dentro e fora do país, a importância de saber sair no momento certo.
Mandela uniu o seu saber inato de que a “paz tem de ser feita com honra” a um saber que aprendeu na prisão: conseguir que o cérebro domine o sangue. Nas suas palavras: “A emoção dizia-nos: ‘A minoria branca é o nosso inimigo, nunca devemos falar com eles.’ Mas a cabeça dizia-nos: ‘Se não falares com eles, o país vai explodir em chamas. Tivemos que reconciliar esse conflito. Falarmos com o inimigo foi o resultado desse domínio da mente sobre a emoção.” Mandela não fez a ponte com o inimigo sozinho. O rio tem duas margens. Do outro lado estavam Neil Barnard, chefe dos serviços secretos, e o Presidente Botha. Os três deram o passo histórico que mudou o país e deixou uma lição de reconciliação ao mundo. Barnard e Botha souberam ler a realidade e perceber que sem um acordo político o país iria devorar-se a si próprio. Mandela soube dizer que sim ao primeiro convite de diálogo secreto. Barnard soube dar dignidade ao prisioneiro com quem secretamente falava. Mandela soube exigir falar directamente com Botha. O “velho crocodilo”, símbolo mundial do racismo, soube receber Mandela com respeito e até graciosidade. Mandela falou em africaner no primeiro encontro. O objectivo das nossas vidas, sempre disse Mandela, é “sermos melhores do que o melhor de nós mesmos”. Bill Clinton, o mais africano dos Presidentes americanos e cujos mandatos na Casa Branca coincidiram com os de Mandela no Tuynhuys, resumiu o que era estar com Mandela: “Se ele conseguiu fazer tudo isto, enfrentar tudo isto e mesmo assim ter um sorriso na cara e uma canção no coração, quem sou eu para me queixar?”
Mandela deixa um país com futuro. Mas também um país criticado por estar a viver um “triste declínio”, com a economia a perder fôlego, a corrupção a aumentar, a desigualdade social gritante. Deixa um desafio às novas gerações. Transformar a reconciliação em prosperidade. Ninguém sabe se vão conseguir. Sabemos apenas que, como hoje citamos Cícero, em 4013 citaremos Nelson Mandela.
 

terça-feira, 17 de julho de 2018

Novos Delegados de Polícia tomam posse em nossa região




O Dr Marcos Aurelio Elias de França, Delegado de Polícia Civil, comandante do DPI(Departamento de Polícia do Interior)região norte apresentou na manhã desta segunda-feira( 16) na Delegacia Regional de Polícia Civil em Crateus os novos Delegados de polícia de nossa região.
 Dra Ana Scotti Scotti continuará no comando da Delegacia Regional de polícia civil, sendo que a partir de agora contará com um Delegado adjunto, sendo este, o Doutor Rodrigo Ribeiro de Vasconcellos.
Novo delegado de polícia de Novo Oriente, Dr René Gomes Mesquita assume no lugar do Emerson Farias que vai tirar plantão na regional de Itapipoca.
Independência- Dr Allan Robson de Melo Macedo. Ele assume a delegacia de polícia no lugar de Doutor Fernando Veiga que vai tirar plantão em Tauá.
Nova Russas – O delegado será o Doutor Francisco Jailton Silva Rodrigues que assume no lugar do doutor Bruno Rocha que vai para delegacia de polícia de Varjota.
Ipueiras- Dr Matheus Figueiredo de Araújo. Tamboril- Dr Tiago Resende Tatagiba assume no lugar do Dr Augusto Soares que vai para a DHPP em Fortaleza.
Em entrevista, Dr Marcos Aurélio deixou bem claro que Dra Ana Scotti Scotti continuará no comando da Delegacia Regional até quando ela quiser, ressaltando o grande trabalho que vem sendo realizado pela mesma em nossa região principalmente no combate ao tráfico de drogas.
Sucesso para os novos comandantes.
Obs: Além dos delegados de Polícia,nossa região também está recebendo novos inspetores e escrivães.
FONTE: Tony Sales

sábado, 14 de julho de 2018

Gasto com alimentação na Câmara trataria o câncer de 18 mil pessoas

Reembolso de deputado pagaria 4 mil sessões de quimioterapia e 14 mil de radioterapia
 
Os 513 deputados federais já receberam reembolso de R$5,56 milhões de gastos com alimentação desde a posse em 2015. Em vez de encher a barriga dos parlamentares, literalmente, o valor seria suficiente para pagar mais de 4 mil sessões de quimioterapia e mais de 14 mil sessões de radioterapia de pacientes de câncer, além de 400 cirurgias para
remover tumores no SUS, segundo dados do Ministério da Saúde. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
Em média, cada deputado recebeu de volta R$10.845. Esse valor seria suficiente para bancar 8 sessões de quimioterapia e 27 de radioterapia.
Enquanto o trabalhador se vira com R$954, deputados ganham R$33,7 mil mensais, mas pedem reembolso de R$ 1 gasto com pão de queijo.
Dos 86.984 pedidos de reembolsos, o maior foi da liderança do PT: R$6.205,00. Dos dez maiores pedidos, nove são do PT e um do PSDB.

Deputados aprovam brecha para liberar indicações políticas nas empresas estatais (familia e aliados nas tetas do governo)

 Foto: Clauber Cleber Caetano/PR

Sempre que o Congresso está prestes a entrar em recesso, deputados e senadores entram em ritmo frenético de trabalho. Questões que se arrastavam por meses são analisadas e aprovadas em minutos, no apagar das luzes. Aqui vai um exemplo do que acontece nessas horas.
Nesta quarta (11), uma comissão especial da Câmara discutia a Lei Geral das Agências Reguladoras. Replicando o mecanismo que existe na Lei das Estatais, o projeto buscava proibir que políticos indicassem parentes ou dirigentes partidários para cargos de direção das agências.
Faz todo o sentido. Se não pode haver familiar ou aliado de político no comando ou no conselho de administração de empresa estatal, também não pode haver na direção de órgãos que regulam atividades essenciais, muitas delas exercidas por estatais.

Os deputados da comissão, no entanto, derrubaram esse dispositivo, de forma a liberar nomeações políticas nas agências. Não satisfeitos, foram muito além. Também aprovaram, no projeto de lei que estavam discutindo, uma emenda que revoga o ponto mais importante da Lei das Estatais, que é justamente a proibição de nomeações políticas.
Não termina aí. O projeto foi aprovado em caráter terminativo. Assim, se não houver recurso para que seja analisado pelo Plenário da Câmara, isto é, pelos 513 deputados, a proposta vai direto para o Senado. E, de lá, para a sanção presidencial.
A Lei das Estatais, que completou dois anos no início deste mês, foi uma reação ao que se descobriu na Lava Jato. Era uma tentativa de limitar casos de corrupção e má gestão nas empresas controladas pelo governo. É impossível eliminar a influência dos políticos sobre essas companhias, mas pelo menos a rejeição – da maioria da sociedade, suponho – a essa prática passou a ficar explícita em lei.
Não faltam insatisfeitos com a proibição. Na época, o presidente Michel Temer desistiu de fazer uma solenidade para assinar a lei, tamanho o descontentamento que ela provocou na base. Para muitos políticos, a função pública perde o sentido sem o poder de indicar pessoas queridas para certos cargos.
Ao defender a emenda que liberou as nomeações políticas, o deputado José Carlos Araújo (PR-BA) explicou que as restrições da Lei das Estatais têm “excessiva abrangência” e estavam “comprometendo o preenchimento de cargos nessas empresas”. Entenda como quiser.

Confira os novos delegados que assumirão as unidades da Polícia Civil de Nova Russas, Independência, Tamboril, Novo Oriente e Ipueiras

Resultado de imagem para policia civil do cearáDefinidos os nomes dos novos Delegados que assumirão as delegacias de polícia civil localizadas na região dos sertões de Crateús.
Atualmente a região conta com as seguintes delegacias:
Delegacia regional com sede em Crateús/ Delegacia Municipal de Novo Oriente/ Delegacia Municipal de Independência/ Delegacia Municipal de Tamboril/ Delegacia Municipal de Nova Russas e Delegacia Municipal de Ipueiras.
Dessas Delegacias, apenas a regional não houve mudança, porém, nas demais, já contam com novos delegados à partir desta data.

Delegacia Regional:. Com sede na cidade de Crateús, continuará sob o comando da Dra Ana Paula Scott.
Além de Crateús, a Delegacia Regional também atende os municípios de Poranga e Ipaporanga.
Mais uma novidade, é que a Delegacia Regional está recebendo mais um novo Delegado, o Dr Rodrigo Ribeiro de Vasconcelos, passará a partir de agora integrar a equipe de Delegados liderados pela Dra Ana Scotte.

Novo Oriente:.  O novo delegado trata-se de Renê Gomes Mesquita.
Dr Renê assume o comando da Delegacia Municipal de Novo Oriente, em substituição ao delegado Dr Emerson Farias que foi designado para trabalhar como Delegado plantonista da delegacia regional de Itapipoca.

Independência:  o novo delegado trata-se do : Dr Allan Robson de Melo Macedo, que assume em substituição ao Dr Fernando Veiga que foi designado para a delegacia regional de Tauá, onde atuará como delegado plantonista na referida Delegacia.
Vale salientar que o novo delegado de Independência, o Dr Alan, é Crateuense e antes de ser delegado, trabalhou como inspetor na delegacia de polícia de Tamboril.

Nova Russas:. O novo delegado de Nova Russas é Francisco Jailton Silva Rodrigues.
Dr Jailton substituirá, Dr Bruno Rocha que foi designado para comandar a delegacia de polícia do município de Viçosa do Ceará na serra da Ibiapaba.
Vale ressaltar que além de Nova Russas, o novo delegado Dr Jailton também responderá pelo município de Ararendá.

Ipueiras:. A Delegacia de polícia civil deste município que estava sem delegado titular há meses, tem um novo delegado. Dr Matheus Figueiredo de Araújo, chega para comandar sua primeira Delegacia como titular

Tamboril:. O novo delegado de Tamboril é Thiago Rezende Tatagiba, que também assume sua primeira Delegacia, porém, tem experiência dentro da polícia civil, pois antes de se tornar delegado o foi inspetor da polícia civil do Estado do Espírito Santo onde trabalhou por 9 anos.
Em Tamboril o Dr Thiago Tatagiba substituirá o Dr Augusto Soares que foi designado para  trabalhar na DHPP em Fortaleza.

Com informações do Blog do Gonçalinho Rodrigues

Pura balela afirmar que as leis são aplicadas igualmente a todos os brasileiros

Resultado de imagem para charge a justiça brasileira
A dialética jurídica no Brasil na aplicação diferente das Leis para os agentes do Estado e para os cidadãos comuns!
 O Estado no Brasil sempre foi absoluto. Pero Vaz de Caminha santificou o Estado português contra a sociedade brasileira em fase inicial. 
O sociólogo Raimundo Faoro, em "Os Donos do Brasil", não na mesma linha do escrivão Caminha, definiu a visão patrimonialista nos privilégios estamentais da casta burocrática do Estado no Brasil, misturando o público e o privado como uma coisa só.
De de 1500 a 2018, continua existindo o Estado acima de tudo. E os agentes do Estado gozam de privilégios, de regalias, de benefícios que os cidadãos comuns nunca tiveram e nunca vão ter. Resumo de tal pensamento estatal está no fato de que as Leis brasileiras são usadas de formas diferentes para punir os agentes estatais e os cidadãos comuns.
Quando um presidente da República, ministro de Estado e outras autoridades dos poderes judiciário e legislativo cometem crimes, as Leis mais protegem do que condenam os mesmos. E, quando aplicadas, muitas vezes, pelo foro privilegiado, pela graça de fazerem parte do Estado, torna-se um impeditivo deles serem punidos pelo chamado Estado Democrático de Direito.
As leis e a justiça são implacáveis quando os acusados de crimes são pessoas comuns, sem os benefícios da função estatal, aplicam-se os rigores da Lei. 
Isso revela uma certa sacralidade da função estatal no Brasil.
Sacralidade muitas vezes acima da Lei!
 
Texto do blog do professor Tim

Finalmente uma boa notícia !!! Brasil ganha cinco medalhas em Olimpíada Internacional de Matemática

Equipe da IMO 2018 que conquistou cinco medalhas e uma menção honrosa (Foto: The Red Lynx Photography/ Divulgação)

A delegação brasileira ganhou cinco medalhas, uma de ouro e quatro de bronze, na 59ª Olimpíada Internacional de Matemática (IMO 2018, na sigla em inglês) realizada na cidade de Cluj-Napoca, na Romênia. O evento reuniu 594 estudantes do mundo todo.
Entre as medalhas, o ouro foi conquistado pelo estudante paulista Pedro Lucas Sponchiado, de 17 anos, do Colégio Etapa. Ele obteve 35 dos 42 pontos possíveis. Os demais alunos da equipe garantiram medalhas de bronze. São eles: Bruno Brasil Meinhart, de 17 anos, de Fortaleza; Bernardo Peruzzo Trevizan, de 16 anos, de SP; Pedro Gomes Cabral, de 15 anos, de Fortaleza; e André Yuji Hisatsuga, de 18 anos, de SP. O estudante Lucas Hiroshi Hanke Harada, de 17 anos, de SP, ficou com uma menção honrosa.
Com esse desempenho, o Brasil garantiu o 28º lugar entre os 107 países participantes. A equipe do Brasil foi liderada pelos professores Regis Prado Barbosa, de SP, e Armando Barbosa Filho, de Fortaleza.
“Os resultados obtidos nesta edição da IMO demonstram o amadurecimento da equipe olímpica. É importante ressaltar que o ouro é fruto de uma rotina intensa de treinamentos, que os professores têm aperfeiçoado a cada ano, inclusive com a presença de convidados estrangeiros, especialistas em competições internacionais”, disse Régis Prado Barbosa, líder da delegação brasileira.
O Brasil participou da IMO pela primeira vez em 1979 e, desde então, obteve dez medalhas de ouro, 43 medalhas de prata, 77 de bronze e 33 menções honrosas.