segunda-feira, 2 de julho de 2018

O ocaso das ideologias - Por: Emerson Monteiro

(Ilustração: Rembrandt, em A ronda da noite).
Deixemos bem claro, ideologias são verdades aparentes que atendem  a circunstâncias ocasionais de grupos ou pessoas. Enquanto doutrinas significam conteúdos expressos de constatações definidas no decorrer das civilizações. Esse intento de realizar pretensões só particulares, fechadas, cria as ideologias. Numa possível comparação, ideologias andam passo a passo com a moral, que se vinculam a tempos e costumes. Já doutrinas buscam identificação na Ética, ou nos valores absolutos, ou seja, formam conjunto de normas e preceitos valorativos de indivíduos, grupos sociais ou sociedades.

Nos tempos atuais, dispostas as experiências que levaram às ideologias, vazio imenso se estende no caminho das alternativas sociais jogadas fora. Insistir nas previsões anteriores das verdades supostas e impostas a sangue e fogo, esse período esfarinhou a história. Demasiadas situações de risco correm os grupamentos humanos à busca de concretizar verdades aparentes, o que custou gerações sucessivas e traumas, no decorrer das aventuras disso tudo de governos parciais e cruéis. Líderes dotados de carisma e determinação impuseram modelos trágicos de estados só ideológicos, a ponto de marcar gerações inteiras com os frutos das artificialidades totalitárias.

Porquanto ideologias demonstram o esgotamento das discussões de princípios e reservam a si o mérito de donas exclusivas da certeza; na prática, o preço de tais imposições de interesses a serviço de grupos de poder representam estados de polícia em detrimento dos postulados do poder pelo povo.

Quis ingênuos instrumentos em mãos inescrupulosas, os humanos baixam a cabeça diante das tais intenções ideológicas, ao ponto de aceitar, pela ausência de atitudes, o turno político dos famigerados ditadores. A memória coletiva, no entanto, guarda os traumas ocasionais das guerras civis e das conflagrações generalizadas, daí formulando, no decorrer dos séculos, a consciência do tanto que necessita de progresso e conquistas civilizatórias vindas da organização política.

Enquanto ruem os surtos ideológicos em decadência, vêm dias claros da paz e dos sonhos de épocas benfazejas, porém a levar em conta o empenho dos cidadãos em adotar doutrinas dignas e lúcidas no transcorrer das suas escolhas dos tempos atuais.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário