quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Situação é crítica no interior do Ceará e seca obriga moradores a comprar água

Quatro dos oito poços do sistema de abastecimento de água do município de Ipaumirim, localizado na região Centro-Sul do Ceará, estão secos. Com isso, apenas um terço da demanda diária da população – que totaliza 56 mil litros por hora – tem sido atendida. A situação, considerada crítica, ainda deve se agravar nos próximos meses.
A previsão inicial para a falta de água no Município era setembro, mas a situação foi antecipada. Três poços tubulares e um amazonas já secaram. "Só quatro estão funcionando parcialmente. Não dá para fazer distribuição por áreas, remanejamento, porque simplesmente a água está acabando", explica o gestor de Núcleo da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), Jomar Felinto.

Devido ao desabastecimento, os moradores são obrigados a comprar água de veículos particulares. Mil litros são vendidos por R$ 20. O trabalho é intenso e o abastecimento acontece por mais de 12 horas diárias: começa às 6 horas da manhã e se estende até às 19 horas. Donos de carros-pipa temem que a situação se agrave ainda mais e que as fontes hídricas atuais, poços, cacimbões e açudes sequem a partir de outubro. "Se isso ocorrer, a água precisa vir de bem mais longe", observa o proprietário de um caminhão-pipa, Lindomar de Souza.

"A situação é crítica na cidade e pior ainda na zona rural que só dispõe de um carro-pipa. Precisamos de pelo menos mais dois carros", destaca o presidente da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec), Almir Carvalho. De acordo com ele, a falta de água chegou às áreas mais baixas e ao centro da cidade nesta semana, mas a situação já é realidade em outras localidades há mais de um ano.

Adutora

O prefeito de Ipaumirim, Wilson Alves de Freitas, cobrou perfuração de poços com urgência no município. "A situação vem se agravando porque os poços secaram rapidamente. Infelizmente, a adutora do Açude Jenipapeiro ainda não foi concluída", explica.

A adutora, que deveria ter sido concluída em 2012, está apenas com 40% dos serviços concluídos. E, em decorrência da seca registrada nesses últimos dois anos, o reservatório do Açude Jenipapeiro acumula apenas cinco milhões de metros cúbicos de água. O projeto prevê que o reservatório irá abastecer as cidades de Umari, Baixio e Ipaumirim.

O supervisor de Obras da Superintendência de Obras Hidráulicas do Estado (Sohidra), Antonio Ribeiro Sales, esclarece que a adutora não foi ainda concluída porque a empresa inicialmente responsável pela obra abandonou o serviço. "Tivemos que fazer uma nova licitação, mas já estamos trabalhando no trecho e a nossa vontade é terminar o quanto antes. Apesar do nosso esforço, a obra só ficará pronta no início do próximo ano, janeiro ou fevereiro", completa.

Fontes hídricas insuficientes

No Ceará, a situação é considerada crítica em pelo menos outros quatro Municípios: Antonina do Norte, Caridade, Salitre e Quiterianópolis. A previsão da Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh) é de que o quadro de escassez de água no sistema de abastecimento da população atinja Crateús e Itatira. Em setembro próximo, entram na relação as seguintes cidades: Alcântaras, Baixio, Fortim, Graça, Mucambo, Pacujá, Pindoretama e Umari.

FONTE: Agência CNM de Notícias
 

Preço do combustível no Ceará deve aumentar, diz Sindipostos



O preço do combustível pode aumentar a qualquer momento no Ceará”. A declaração é do assessor econômico do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado do Ceará (Sindipostos), Antônio José Carlos, que justifica a possível elevação com dois fatores intrínsecos: a escalada do dólar, e por consequência às perdas geradas na Petrobrás por conta do aumento da moeda americana. Desde do início de 2013, o preço dos combustíveis praticados no Ceará tem tido oscilações. Em fevereiro, o preço da gasolina no Ceará teve o 3° maior aumento do Brasil. Em março, os preços de combustíveis no Ceará permaneceram estáveis, mesmo após uma alta no Brasil. Em abril, novo reajuste faz o combustível do Ceará ser o 4º mais barato do país. Em maio, alterações na composição da gasolina deixa o combustível mais barato em Fortaleza. Já no feriado de Corpus Christi, houve um corte de descontos, que gerou o aumento no preço da gasolina. O último reajuste oficial do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), no começo de julho, o preço dos combustíveis é alterado em cinco estados, mas no Ceará o preço se manteve estável. O assessor do Sindipostos informa que essa expectativa do aumento é real, pois desde o começo do ano que a Petrobrás já informou que até o fim de 2013 haverá 5% de aumento total. Esse crescimento vem indiretamente do Ministério da Fazenda, já que o maior acionista da Petrobrás é o governo. Antônio José explica também que independente do aumento o preço praticado nas bombas podem subir ou cair a qualquer momento, pois “o mercado é livre, e, no varejo a decisão é do comerciante”. Um levantamento feito pelo Sindipostos garante que, em comparação aos outros estados do Nordeste, o estado do Ceará está na média. “Talvez até um pouco mais barato que a grande maioria das capitais, com um preço compatível com os custos fornecidos pelas distribuidoras” defende o assessor econômico, ao apresentar ainda que o preço praticado em Fortaleza varia entre R$ 2,75 e 2,90 pelo litro da gasolina.

FONTE: Tribuna do Ceará
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário